Os desafios da vida em condomínio

Na correria da vida moderna, entender o outro é praticar a empatia para evitar julgamentos e resolver conflitos é algo desafiador, principalmente para quem escolheu morar em condomínio.  Muitos moradores acabam esquecendo que é possível resolver tudo de forma amigável e que existem regras de boa convivência, que devem ser respeitadas, logo,  tudo pode ser mais simples com bom senso dos envolvidos.

Infelizmente em algumas situações os moradores acabam se envolvendo, mesmo involuntariamente em casos que cabem tão somente ao seu vizinho decidir, ou acabam invadindo o espaço do vizinho, que pode não aceitar tal situação. Mas o que pode acontecer quando os ânimos se alteram e já não é mais possível dialogar?

Neste caso, a melhor opção é recorrer à Justiça para encontrar uma solução para estes problemas, diante disso a Administradora de Condomínio, através do seu departamento jurídico poderá prestar a assessoria necessária, orientando o condômino quais medidas ele poderá tomar.

Segundo  a Dra. Marilia Binatto de Barros, advogada da Binatto & Binarros, as maiores reclamações estão associadas ao barulho, aplicação de multas infracionais, animais domésticos,problemas com  vazamentos e infiltrações também fazem parte da lista.  “A administração do condomínio deve tentar resolver amigavelmente, mas não sendo possível o melhor é se valer da Justiça para se obter uma solução definitiva para o caso.”, pontua a advogada.

Em alguns casos é necessária a o pedido de exclusão do vizinho problema e acontece em casos os extremos em que o comportamento do condômino infrator gera verdadeira incompatibilidade de convivência.

O sindico tem papel fundamental neste processo, e não pode deixar a situação ficar insustentável, deve tomar todas as providências, como a aplicação de advertências, multas previstas na convenção e na legislação, fazer assembleia para tratar do assunto, registrar as reclamações, preferencialmente em livro de ocorrência ou no sistema da administradora, e dependendo do caso, ocorrências policiais, devem vir antes de qualquer pedido de exclusão.